ÚLTIMA HORA: António Vilela reage - «Não me foi arrestado qualquer bem ou à Câmara» e declina «responsabilidades em qualquer acto individual das deliberações»

O presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, António Vilela, afirmou esta tarde, em comunicado, que «nunca em momento algum neste processo, contrariamente ao que tem sido vinculado na comunicação social, me foi arrestado ou apreendido algum bem pessoal ou do Município de Vila Verde».

«Na sequência das notícias falaciosas publicadas em diversos órgãos de comunicação social, relativas à investigação que decorre no Tribunal de Braga, esclareço «dever neste momento tranquilizar todos os Vilaverdenses e dar conta da minha disponibilidade para continuar a lutar pelos interesses de Vila Verde e dos Vilaverdenses.

Segundo o mesmo comunicado de António Vilela, na origem do processo encontram-se «dezenas de denúncias anónimas sobre o processo de aumento de 51% do aumento de capital da sociedade “Escola Profissional Amar Terra Verde” e o processo encontra-se sob investigação, tendo no dia 15 de Fevereiro de 2017 [ontem] prestado declarações para que de encontro com a lei sejam clarificados todos os factos».
O edil vilaverdense acrescenta que «a minha participação em todo este processo do aumento de 51% do capital da sociedade “Escola Profissional Amar Terra Verde” circunscreve-se apenas no âmbito das deliberações dos órgãos coletivos que presido e, por isso, declino toda a responsabilidade individual em qualquer acto».

De acordo com António Vilela, «como qualquer cidadão Português, confio plenamente na justiça e encontro-me como sempre disponível para colaborar com as entidades judiciais e aguardarei serenamente para que com celeridade possível tudo fique claro e transparente».
Depois «deste esclarecimento inicial para que o meu bom nome, da minha família e do Município de Vila Verde sejam, como a lei prevê, repostos, cumpre-me informar os trâmites legais deste processo, para que não sejam confundidos os factos», diz o presidente da autarquia no mesmo comunicado.

COMUNICADO NA ÍNTEGRA

Na sequência das notícias falaciosas publicadas em diversos órgãos de comunicação social, relativas à investigação que decorre no Tribunal de Braga, esclarece-se o seguinte:

1. Face a dezenas de denúncias anónimas sobre o processo de aumento de 51% do aumento de capital da sociedade “Escola Profissional Amar Terra Verde”, o processo encontra-se sob investigação, tendo no dia 15 de fevereiro de 2017 prestado declarações para que de encontro com a lei sejam clarificados todos os factos;

2. A minha participação em todo este processo do aumento de 51% do capital da sociedade “Escola Profissional Amar Terra Verde” circunscreve-se apenas no âmbito das deliberações dos órgãos coletivos que presido e, por isso, declino toda a responsabilidade individual em qualquer ato;

3. Nunca em momento algum neste processo, contrariamente ao que tem sido vinculado na comunicação social, foi arrestado ou apreendido algum bem pessoal do cidadão António Fernando Nogueira Cerqueira Vilela ou do Município de Vila Verde;

4. Como qualquer cidadão Português, confio plenamente na justiça. Encontro-me como sempre disponível para colaborar com as entidades judiciais e aguardarei serenamente para que com celeridade possível tudo fique claro e transparente;

Devo neste momento tranquilizar todos os Vilaverdenses e dar conta da minha disponibilidade para continuar a lutar pelos interesses de Vila Verde e dos Vilaverdenses.

Após este esclarecimento inicial para que o meu bom nome, da minha família e do Município de Vila Verde sejam, como a lei prevê, repostos, cumpre-me informar os trâmites legais deste processo, para que não sejam confundidos factos:

1. Na sequência de inúmeras denúncias anónimas encontra-se a ser investigado o processo relativo ao aumento de capital da Sociedade “Escola Profissional Amar Terra Verde, Lda.”;
2. A sociedade “Escola Profissional Amar Terra Verde, Lda.” foi fundada em 10 do setembro de 1999, com o objetivo da formação profissional de jovens, pelos Municípios de Vila Verde, Amares e de Terras do Bouro, que disponham respetivamente de 50%, 30% e 20% da referida sociedade;

3. Na sequência de imposições legais relativas ao setor empresarial local, Lei em 50/2012 de 31 de agosto, as três autarquias optaram por despoletar um processo de aumento de capital da sociedade;

4. Este processo de aumento de capital da sociedade “Escola Profissional Amar Terra Verde” foi sempre acompanhado e devidamente informado por um jurista externo, com experiência na matéria. Jurista esse que elaborou o parecer jurídico e as peças concursais do referido aumento de capital, os quais foram deliberados nos órgãos executivos (Câmaras Municipais) e deliberativos (Assembleias Municipais) dos Municípios de Vila Verde, Terras do Bouro e Amares;

5. Posteriormente, após todos os trâmites legais referidos anteriormente, em 31 de maio de 2013 foi lançado um procedimento de concurso público pelo Conselho de Administração da sociedade “Escola Profissional Amar Terra Verde” e constituído um júri dos elementos dos três Municípios para a avaliação das propostas concorrentes;

6. Ao referido concurso público apenas concorreu uma única proposta, a qual após análise de uma entidade externa, foi validada unanimemente pelo júri do concurso e enviada às Câmaras Municpais de Vila Verde, Amares e Terras do Bouro para aprovação dos respetivos órgãos executivos e consecutivamente deliberativos.

7. Na sequência destas deliberações procedeu-se ao aumento de 51% do capital da sociedade “Escola Profissional Amar Terra Verde.”

Vila Verde, 16 de fevereiro de 2017,
O Presidente da Câmara Municipal de Vila Verde,
António Fernando N. C. Vilela

    Jornal o VilaVerdense
16 de Fevereiro de 2017 / 13:18

Partilhar no Facebook  Partilhar no Facebook


Outras notícias

-AUTÁRQUICAS 2017: Morais defende «política séria e realista» que resolva «problemas urgentes das pessoas»

-VILA VERDE: 60 anos do Tratado de Roma em debate na EPATV

-MOURE: Nel Monteiro actua em almoço convívio no dia 4 de Junho

-AUTÁRQUICAS 2017: Vilela foca aposta na qualificação dos centros urbanos de Vila Verde-Barbudo e Vila de Prado e outros centros cívicos do concelho

-GÊME: Chuva abençoa procissão de Santa Engrácia

-CERVÃES: Peregrinação a Nossa Senhora do Bom-Despacho reúne paróquias vizinhas em jornada de fé

-Atiães recebeu caminhada solidária a favor dos Bombeiros de Vila Verde

-VILA DE PRADO: Alunos da Escola de Música brilham em homenagem a Zeca Afonso

-Sporting de Braga – António Salvador reeleito presidente com dois terços dos votos

-CERVÃES: Nasceu o Núcleo das Mulheres social-democratas

-VILA DE PRADO: Romaria e emoções fortes no Faial com a 17ª concentração motard

-VILA VERDE: Academia de Música promoveu "Audições Finais de Período" com sala cheia

-ELEIÇÕES SC BRAGA: Candidatos já votaram em dia com recorde de eleitores

-VILARINHO (Vila Verde): Paróquia assinalou “Devoção Mariana” com actos litúrgicos

-Iniciados do AJ Moure protestam

-Gala Desportivo VH homenageou e premiou os melhores da região

-Sessão sobre a Diversidade Cultural juntou José Manuel Fernandes e Nuno Melo na Casa do Conhecimento em Vila Verde

-SOUTELO: Duatlo Margens do Homem realiza-se a 11 de Junho e conta com transmissão na Bola TV e RTP2

-GNR regista 361 detenções e 9074 infracções esta semana

-AUTÁRQUICAS 2017: Abastecimento de água vai atingir cobertura próximo dos 100% através da aposta em sistemas locais, garante António Vilela

-VILA VERDE: JS tira “ideias” no Fórum Autárquico Distrital para o Manifesto Eleitoral local

-"Villa Rustica" proporciona "viagem no tempo" a quem passa pelas Termas do Alto da Cividade em Braga

-VILA VERDE: Academia de Música promove "Audições Finais de Período" este sábado (27 Maio)

-MÓS (Vila Verde): Inauguração do novo Albergue de Animais de Vila Verde no dia 4 de Junho

-VALBOM SÃO MARTINHO: Idoso morre em acidente com tractor

-VILA VERDE: Complexo de Lazer transforma-se em “palco de brincadeiras” no dia 4 de Junho

-BRAGA: Cerca de 750 doses de droga e 13 plantas de cannabis apreendidas

-SAÚDE: Hospital da Misericórdia de Vila Verde distinguido com Excelência Clínica

-JUSTIÇA: Tribunal dá razão à Câmara de Braga na disputa com a Igreja no caso dos terrenos do Picoto

-Academia de música realiza audições finais este sábado









Jornal O Vilaverdense