ÚLTIMA HORA: António Vilela reage - «Não me foi arrestado qualquer bem ou à Câmara» e declina «responsabilidades em qualquer acto individual das deliberações»

O presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, António Vilela, afirmou esta tarde, em comunicado, que «nunca em momento algum neste processo, contrariamente ao que tem sido vinculado na comunicação social, me foi arrestado ou apreendido algum bem pessoal ou do Município de Vila Verde».

«Na sequência das notícias falaciosas publicadas em diversos órgãos de comunicação social, relativas à investigação que decorre no Tribunal de Braga, esclareço «dever neste momento tranquilizar todos os Vilaverdenses e dar conta da minha disponibilidade para continuar a lutar pelos interesses de Vila Verde e dos Vilaverdenses.

Segundo o mesmo comunicado de António Vilela, na origem do processo encontram-se «dezenas de denúncias anónimas sobre o processo de aumento de 51% do aumento de capital da sociedade “Escola Profissional Amar Terra Verde” e o processo encontra-se sob investigação, tendo no dia 15 de Fevereiro de 2017 [ontem] prestado declarações para que de encontro com a lei sejam clarificados todos os factos».
O edil vilaverdense acrescenta que «a minha participação em todo este processo do aumento de 51% do capital da sociedade “Escola Profissional Amar Terra Verde” circunscreve-se apenas no âmbito das deliberações dos órgãos coletivos que presido e, por isso, declino toda a responsabilidade individual em qualquer acto».

De acordo com António Vilela, «como qualquer cidadão Português, confio plenamente na justiça e encontro-me como sempre disponível para colaborar com as entidades judiciais e aguardarei serenamente para que com celeridade possível tudo fique claro e transparente».
Depois «deste esclarecimento inicial para que o meu bom nome, da minha família e do Município de Vila Verde sejam, como a lei prevê, repostos, cumpre-me informar os trâmites legais deste processo, para que não sejam confundidos os factos», diz o presidente da autarquia no mesmo comunicado.

COMUNICADO NA ÍNTEGRA

Na sequência das notícias falaciosas publicadas em diversos órgãos de comunicação social, relativas à investigação que decorre no Tribunal de Braga, esclarece-se o seguinte:

1. Face a dezenas de denúncias anónimas sobre o processo de aumento de 51% do aumento de capital da sociedade “Escola Profissional Amar Terra Verde”, o processo encontra-se sob investigação, tendo no dia 15 de fevereiro de 2017 prestado declarações para que de encontro com a lei sejam clarificados todos os factos;

2. A minha participação em todo este processo do aumento de 51% do capital da sociedade “Escola Profissional Amar Terra Verde” circunscreve-se apenas no âmbito das deliberações dos órgãos coletivos que presido e, por isso, declino toda a responsabilidade individual em qualquer ato;

3. Nunca em momento algum neste processo, contrariamente ao que tem sido vinculado na comunicação social, foi arrestado ou apreendido algum bem pessoal do cidadão António Fernando Nogueira Cerqueira Vilela ou do Município de Vila Verde;

4. Como qualquer cidadão Português, confio plenamente na justiça. Encontro-me como sempre disponível para colaborar com as entidades judiciais e aguardarei serenamente para que com celeridade possível tudo fique claro e transparente;

Devo neste momento tranquilizar todos os Vilaverdenses e dar conta da minha disponibilidade para continuar a lutar pelos interesses de Vila Verde e dos Vilaverdenses.

Após este esclarecimento inicial para que o meu bom nome, da minha família e do Município de Vila Verde sejam, como a lei prevê, repostos, cumpre-me informar os trâmites legais deste processo, para que não sejam confundidos factos:

1. Na sequência de inúmeras denúncias anónimas encontra-se a ser investigado o processo relativo ao aumento de capital da Sociedade “Escola Profissional Amar Terra Verde, Lda.”;
2. A sociedade “Escola Profissional Amar Terra Verde, Lda.” foi fundada em 10 do setembro de 1999, com o objetivo da formação profissional de jovens, pelos Municípios de Vila Verde, Amares e de Terras do Bouro, que disponham respetivamente de 50%, 30% e 20% da referida sociedade;

3. Na sequência de imposições legais relativas ao setor empresarial local, Lei em 50/2012 de 31 de agosto, as três autarquias optaram por despoletar um processo de aumento de capital da sociedade;

4. Este processo de aumento de capital da sociedade “Escola Profissional Amar Terra Verde” foi sempre acompanhado e devidamente informado por um jurista externo, com experiência na matéria. Jurista esse que elaborou o parecer jurídico e as peças concursais do referido aumento de capital, os quais foram deliberados nos órgãos executivos (Câmaras Municipais) e deliberativos (Assembleias Municipais) dos Municípios de Vila Verde, Terras do Bouro e Amares;

5. Posteriormente, após todos os trâmites legais referidos anteriormente, em 31 de maio de 2013 foi lançado um procedimento de concurso público pelo Conselho de Administração da sociedade “Escola Profissional Amar Terra Verde” e constituído um júri dos elementos dos três Municípios para a avaliação das propostas concorrentes;

6. Ao referido concurso público apenas concorreu uma única proposta, a qual após análise de uma entidade externa, foi validada unanimemente pelo júri do concurso e enviada às Câmaras Municpais de Vila Verde, Amares e Terras do Bouro para aprovação dos respetivos órgãos executivos e consecutivamente deliberativos.

7. Na sequência destas deliberações procedeu-se ao aumento de 51% do capital da sociedade “Escola Profissional Amar Terra Verde.”

Vila Verde, 16 de fevereiro de 2017,
O Presidente da Câmara Municipal de Vila Verde,
António Fernando N. C. Vilela

    Jornal o VilaVerdense
16 de Fevereiro de 2017 / 13:18

Partilhar no Facebook  Partilhar no Facebook


Outras notícias

-VILA VERDE: Escola Secundária desenvolve projecto conjunto ERASMUS + com o Instituto “El Pomar” (Espanha) sobre estudo bilingue de português e inglês

-VILA DE PRADO: EB 2-3 acolheu palestra sobre "Plantas Invasoras - Por que são um problema? Como as controlar?"

-CIM Cávado promoveu sessão de capacitação empresarial sobre “Internacionalização de Empresas” em Vila Verde

-Centro Escolar de Vila Verde acolheu, esta tarde, concerto didático promovido pelo Agrupamento de Escolas e pela Academia de Música

-VILA VERDE: Casa do Conhecimento promoveu Oficina de Resíduos Electrónicos

-CORRUPÇÃO CARTAS DE CONDUÇÃO: Julgamento recomeça na sexta-feira e deve ter as alegações finais

-FUTEBOL: Eduardo Milhão satisfeito por jogar com o Sporting

-ÚLTIMA HORA: Vilaverdense FC visita Sporting na Taça de Portugal

-Concurso de Bandas Filarmónicas leva este fim-de-semana a Braga 15 bandas e mil músicos

-CRIME: Detido por empurrar polícia que se preparava para o multar

-Pedro Abrunhosa dá esta quarta-feira dicas a estudantes da UMinho sobre economia e gestão

-Trilho do Vade no próximo domingo

-PÓVOA DE LANHOSO: Comemoração do dia da Floresta no Carvalho de Calvos

-CASO RAPTO MORTAL: Sentença a 20 de Dezembro do caso do empresário de Braga raptado e morto

-ÚLTIMA HORA: Empresa de Vila Verde antecipa-se e pede para explorar minas de lítio

-BRAGA: Bosch cria mil postos de trabalho com 36 milhões em obras de ampliação

-RIBEIRA DO NEIVA: PS «não compreende» falta de sistema de aquecimento na escola

-BRAGA: Quinta Pedagógica e ATAHCA assinalam esta quinta-feira Dia da Floresta Autóctone

-LOUREIRA: Alargamento da rede de saneamento deve iniciar ainda este ano

-“Letra” lança cerveja com uvas da casta loureiro

-Escolas de Vila Verde querem dar um Natal mais feliz às crianças de São Tomé e Príncipe

-SANDE: Associação promoveu magusto em fim-de-semana de convívio

-Câmara aprova mais de 89 mil euros em subsídios às associações do concelho

-VILA VERDE: Teatro e exposição na abertura da Semana da Floresta Autóctone

-Guias de Portugal juntam vozes por um mundo sem violência

-POLÍTICA: André Carvalho mantém a liderança da JS de Vila Verde

-PORTELA DAS CABRAS: Dois lotes para construção já foram atribuídos

-VILA VERDE: PS recomenda revisão à tarifa de recolha de lixo para pequeno comércio

-CASO "CONVERTIDAS" (Braga): Ex-governante Miguel Macedo confirma telefonemas de Mesquita Machado a solicitar a cedência do antigo Convento das Convertidas

-VILA VERDE: Implementação de serviço municipal de recolha de saneamento condicionada a estudo financeiro









Jornal O Vilaverdense