Detido em Turiz por tráfico de cocaína era “quadro intermédio” da rede

Um dos seis detidos hoje na megaoperação da GNR residia em Turiz, Vila Verde, tendo sido apontado como “quadro intermédio” da rede de tráfico de cocaína suspeita de ser a “principal abastecedora” daquela droga dura entre as Terras de Entre Homem e Cávado.

A megaoperação da GNR da Póvoa de Lanhoso, que teve o apoio da PSP de Braga, foi o resultado de uma investigação de cerca de um ano, segundo referiu ao Vilaverdense o capitão Novais Lopes, que comandou a “Operação Infante/035”, nos distritos de Braga e do Porto, envolvendo o Grupo de Intervenção de Operações Especiais (GIOE) da GNR.

Os seis detidos são cinco homens e uma mulher, avultando entre estes um casal e um outro suspeito, residentes nos Bairros do Monte Picoto e de Santa Tecla, em Braga, que seriam os líderes do grupo, contando com o detido em Turiz como uma espécie de seu revendedor, “a fim de não exporem perante os consumidores de droga e as autoridades”.

Segundo as primeiras informações avançadas pela Guarda Nacional Republicana, um dos detidos era o “correio”, que foi apanhado pela GNR depois de abastecer-se de cerca de uma dezena de gramas de cocaína, no Bairro do Aleixo, na zona litoral do Porto, no momento em que se preparava para regressar a Braga, a fim de abastecer o casal, que na cidade de Braga dispunha de duas casas da Câmara Municipal de Braga só para traficar drogas duras, residindo numa terceira residência, mas essa casa já não de carácter social.

---
Redacção
Ovilaverdense@gmail.com