ÚLTIMA HORA: Aliança Artesanal paga 600 euros por «violação e uso ilegal» da marca Lenços de Namorados / «A Adere-Minho tudo faz para prejudicar Vila Verde...» - Júlia Fernandes

A Cooperativa Aliança Artesanal e a vereadora Júlia Fernandes foram acusadas pelo Ministério Público de «violação e uso ilegal» da marca e da indicação geográfica “Lenços dos Namorados do Minho”, que pertence à Adere-Minho.


«O processo de que fomos alvo está suspenso por um período de sete meses e a Aliança Artesanal vai cumprir as injunções, o que determinará o seu arquivamento», explicou Júlia Fernandes.

No entanto, a vereadora e a Cooperativa aceitaram pagar 600 euros à APPACDM de Vila Verde, desactivar o site aliancartesanal.pt e retirar do Facebook e das embalagens a designação "Lenços de Namorados”, com vista à suspensão do processo.

A acusação do Ministério Público surge na sequência de uma queixa-crime feita pela Adere-Minho à ASAE, sobre o que considera ser um «uso indevido e abusivo» da marca e da indicação geográfica Lenços de Namorados do Minho.

Segundo o despacho do MP, a vereadora, na qualidade de responsável pela gestão/administração e os destinos da Aliança Artesanal e dos fundos/receitas por ela gerados, estava ciente de que a utilização dos dizeres “Lenços dos Namorados” e “Lenços dos Namorados de Vila Verde” «era manifestamente susceptível – devido à semelhança do seu grafismo, fonética e conceito – de ser confundida, pelos clientes/consumidores que ali se deslocassem, com os lenços decorativos certificados, denominados “Lenços dos Namorados do Minho”».

Para o Ministério Público, Júlia Fernandes agiu «visando aproveitar o prestígio da denominação protegida em causa para obter maiores proveitos económicos», «bem sabendo que a sua conduta era proibida e punida por lei».

Está acusada, em autoria material, na forma consumada, de um crime de violação e uso ilegal de denominação de origem ou de indicação geográfica.
À cooperativa Aliança Artesanal, o MP imputa um crime de violação e uso ilegal de denominação de origem ou de indicação geográfica, na forma consumada.

ALIANÇA ARTESANAL VAI MANTER TRABALHO

«Não vejo como é que se pode deixar de chamar "Lenços de Namorados" aos lenços que promovemos e que são nossos. Entendo que não há conflito com a designação "Lenços de namorados do Minho" como alega a Adere Minho que tem essa marca registada», frisa Júlia Fernandes.

Segundo a vereadora, que presidente da Aliança Artesanal, a Cooperativa vai «continuar a defender» o património vilaverdense «e a honrar o trabalho de todas as mulheres que recolheram e valorizaram» os lenços.
«Tudo farei para defender os Lenços de Namorados e a Aliança Artesanal. Lutarei contra todos os oportunistas que tudo fazem para prejudicar o nosso concelho e impedir que os Lenços de Namorados e projectos como o Namorar Portugal, que valorizam e promovem o nosso território, não possam ser desenvolvidos», vinca.

ADERE-MINHO «PREJUDICA VILA VERDE»
No mesmo comunicado/resposta, Júlia Fernandes diz que «a Aliança Artesanal foi fundada em 1988 e sempre trabalhou com Lenços de Namorados. Grandes mulheres vilaverdenses como a Prof. Carmo Rocha e a D. Conceição Pinheiro, entre muitas outras, fizeram um trabalho notável de recolha e promoção destes belíssimos exemplares e permitiram que eles chegassem aos nossos dias, tal como se faziam em finais do século XVIII. Hoje, a marca Namorar Portugal, inspirada nos motivos dos Lenços de Namorados, comercializa milhares de produtos permitindo a criação de emprego e a promoção do nosso território».

E remata: «a Adere Minho registou a marca "Lenços de Namorados do Minho" e tudo faz para prejudicar Vila Verde, perseguindo a Aliança Artesanal e os parceiros Namorar Portugal, apresentando queixas à ASAE e enviando processos para Tribunal».

    Jornal o VilaVerdense
17 de Julho de 2017 / 18:13

Partilhar no Facebook  Partilhar no Facebook


Outras notícias

-PARADA DE GATIM: Festa de Nossa Senhora do Amparo de 13 a 15 de Agosto

-PS regozija-se com avanço da requalificação da EN 101... lembra outras obras do presente e "ressuscita" trabalho de Martinho Gonçalves

-GNR deteve 41 pessoas nas últimas 12 horas … 25 com álcool a mais e 7 por tráfico

-CABANELAS: Fado e teatro para fechar Semana Cultural

-VILA DE PRADO: Festa de São Tiago e Nossa Senhora dos Remédios é este fim-de-semana

-LOUREIRA: Junta regozija-se com construção de rotunda

-GNR apreende mais de 7 quilos de cannabis e detém 37 traficantes de droga

-LAGE: Cinema ao livre no Monte de Santa Helena amanhã

-ATAHCA: Alunas certificadas com o nível básico

-Câmara prorroga prazo para alteração dos Planos de Pormenores da área envolvente à igreja e do núcleo urbano

-LOUREIRA: Lançado concurso para construção de rotunda

-VILA DE PRADO: CDS-PP considera interdição da Praia do Faial «episódio vergonhoso» e questiona Câmara

-ABOIM DA NÓBREGA: Álvaro Rocha reeleito Presidente da AISTI

-Eduardo Milhão reeleito Presidente do Vilaverdense FC

-TRIBUNAL: Condenado a 11 anos de prisão por violar sobrinha menor em Vila Verde

-VILA VERDE: Raspadinha com 5 mil euros rasgou e apostadora ainda não recebeu o prémio

-LOUREIRA: Dono de café agredido em rixa com grupo

-GNR e Guardia Civil patrulham em conjunto estradas espanholas para apoiar emigrantes portugueses

-Tribunal nomeia peritos para avaliar contas do Bingo do SC Braga

-PICO DE REGALADOS: Noites Temáticas regressam de 4 a 6 de Agosto

-RIBEIRA DO NEIVA: Concerto solidário angariou cerca de 4000€ para Pedrogão Grande

-ESCARIZ: Idosas ensinam crianças a costurar

-Vila Verde é o 15º concelho com menor equilíbrio financeiro

-VILA VERDE: XVI Festival Folclórico Internações encheu Praça de Santo António

-ECONOMIA: Associação Empresarial do Vale do Homem-AEVH apresentou-se ao tecido empresarial de Amares

-EPATV quer salvaguarda dos trabalhadores e pagamento de dívida para antecipar fim da gestão do Complexo de Lazer

-Cargo nas Águas do Norte pode impedir candidatura de Filipe Silva

-Incêndio em Escariz preocupa populações

-DESPORTO: Ricardo Gomes disputa o Campeonato Europeu Universitário de Taekwondo

-ECONOMIA: Novo gabinete de estética de Tânia Alves abre no centro de Vila Verde









Jornal O Vilaverdense