Braga Barroca arranca esta quarta-feira para valorizar património e reforçar identidade da cidade

Concertos, visitas guiadas, workshops, teatro, um concurso nacional de cravo e recriações históricas integram o programa da Braga Barroca 2017, um evento que o Município de Braga realiza entre esta quarta-feira e domingo e que celebra um dos períodos áureos da história da cidade.

“Está a surgir em Braga uma verdadeira indústria cultural com a realização de iniciativas e eventos que têm um impacto muito positivo em termos económicos, contribuindo ainda para o reforço da nossa identidade e da salvaguarda do património”, afirmou o presidente da Câmara na apresentação da quarta edição do evento.

Ricardo Rio lembrou que “a Braga Barroca não surge por acaso, integrando uma estratégia de valorização patrimonial”. “Ano após ano temos tido um programa que cresce em ambição e diversidade, demonstrando que esta foi uma aposta ganha por parte deste executivo municipal, desde logo pelo envolvimento das entidades parceiras, mas sobretudo pela receptividade que os bracarenses tiveram desde a primeira edição”, salientou.

A Braga Barroca 2017 – que assinala também as Jornadas Europeias do Património - pretende fornecer “uma experiência abrangente”, através de acções de âmbito artístico que procuram recriar hábitos e tipologias de vida, e envolver progressivamente a cidade e os seus agentes.

Já para a vereadora da Cultura, o evento “cresceu de forma sustentada e com a parceria das instituições e associações do concelho”. “A Braga Barroca conta com as parcerias da Santa Casa da Misericórdia de Braga, a Biblioteca Pública, a BLCS, o Cabido Metropolitano da Sé, Conselho Cultural da UMinho, do Conservatório de Música Calouste Gulbenkian, da Irmandade de Santa Cruz, do Seminário de S. Pedro e S. Paulo e ainda do movimento associativo do Concelho que fazem da Braga Barroca um evento único e muito apelativo”, referiu Lídia Dias.

Este ano o programa conta com uma exposição dedicada a um dos vultos da pintura barroca em Portugal. No Palácio do Raio estarão reunidas obras referência de Josefa de Óbidos, provenientes de diversas localidades, e que podem ser vista até 20 de Outubro.

Concertos com a Orquestra Barroca da Casa da Música, com a Sinfonieta de Braga, com o ensemble Harawi e com a Capella Musical da Fundação Cupertino de Miranda, o Sarau Barroco, as visitas encenadas fazem parte do programa deste ano que inclui, igualmente, animação de ria, uma mostra de sabores setecentistas e a demonstração de artes e ofícios da época.

O programa completo do evento pode ser consultado em https://goo.gl/nZYQ71

---
Redacção/FG (CP 1200)
ovilaverdense@gmail.com