Sofia Fisher Cruz em prisão preventiva por suspeitas de tráfico de droga

Uma das principais arguidas bracarenses do caso da mega operação desencadeada pela GNR de Braga ficou em prisão preventiva, recolhendo já ao Estabelecimento Prisional Feminino de Santa Cruz do Bispo, em Matosinhos.

Sofia Fisher Rodrigues Cruz está indiciada por alegado tráfico de droga, ascendendo a seis entre os oito suspeitos detidos pela GNR que vão agora aguardar pelo julgamento em regime de prisão preventiva, até ao julgamento.

Sofia Fisher Rodrigues Cruz foi detida pela GNR na noite de domingo quando chegava à sua moradia, na Rua Calouste Gulbenkian, no centro de Braga, tendo colaborado com os investigadores da GNR na busca à sua moradia, mas negando qualquer envolvimento em tráfico de droga, assumindo apenas ter um passado de toxicodependência.

Na sua vivenda foram apreendidos, além de outros artigos, seis espingardas caçadeiras, além de 1.400 munições e três caixas de pólvora, numa operação liderada pelo Núcleo de Investigação Criminal (NIC) do Comando Territorial da GNR de Braga.

Os outros três suspeitos que ficaram em prisão preventiva, no total de quatro que foram interrogados, são uma mulher e dois homens, estes conhecidos pelas alcunhas “Stones” e “Teo”, do Bairro Nuno Pinheiro Torres, e da zona da Ribeira, ambos no Porto.

São suspeitos de abastecerem de droga o grupo de Braga, nomeadamente Nuno Dias (“Peras”), apanhado com droga quando voltava ao Bairro as Enguardas, em Braga, ido do Porto, na companhia de um irmão, Marco Silva.

A operação da GNR, com o apoio da PSP e do GISP dos Serviços Prisionais, visou uma rede de tráfico de droga – cocaína, heroína e haxixe – e inclui buscas numa cela da ala nova do Centro Prisional de Paços de Ferreira, onde um recluso, “Ticlas”, é suspeito de dirigir o grupo utilizando dois telemóveis.

---
JG (CP 2015)
ovilaverdense@gmail.com